“O psicanalista deve constantemente analisar a si mesmo. Analisando a nós mesmos, ficamos mais capacitados a analisar os outros”. Freud

psicologia-consulte-1Agora que o Carnaval passou e como dizem por aí o ano finalmente começou, fiquei pensando a respeito da volta às aulas e pensei sobre os meus futuros colegas de profissão: os estudantes de psicologia.

Muitas são as razões que levam alguém a escolher o curso de Psicologia: querer ajudar os outros, trabalhar com crianças, com dependência química, com RH… enfim uma infinidade de coisas, todas elas relacionadas ao trabalho com os outras pessoas e em especial em ajudá-las de alguma forma. Porém, não é nada incomum ver pessoas que até o final do curso ou até mesmo formadas, nunca estiveram do “outro lado” da terapia.

Para falar sobre isso, citarei Freud que em 1926 falou sobre a necessidade de analisarmos a nós mesmos, pois dessa forma nos tornamos mais capacitados a analisar os outros. Freud em sua obra também fala a respeito do famoso “Tripé da Psicanálise”: a análise pessoal, a análise de controle (ou supervisão, que é quando um psicanalista leva seus casos a um com mais experiência) e o estudo da teoria.

Mas por que será que é tão importante passar por essa experiência? Alguns podem dizer que se como psicólogos não falamos da nossa experiência pessoal, não seria tão importante fazer a própria terapia.

É verdade, o psicólogo deve evitar falar de si, mas ele precisa ter falado muito de si mesmo para se sentir a vontade em permitir que os outros falem de si e de suas questões. Imagine se um paciente trás alguma questão que pra ele é tabu? Qual seria a sua reação?

Outro ponto importante é ter um local para falar a respeito das questões que aparecem ao longo das aulas, dos estágios e do início da vida profissional. São muitos questionamentos, muitos choques culturais e em vários momentos se é questionado profundamente, seja pelo aprendizado de teorias ou pela vivência de novas experiências.

Por esses motivos se faz tão importante que o estudante tenha um lugar onde possa falar sobre tais situações sem reservas no ambiente seguro que o processo terapêutico proporciona, pois como já falamos aqui é muito diferente do que falar com um amigo ou familiar.

Sei muito bem que a vida é corrida, muitas provas, trabalhos, estágios e muitos vezes trabalho o dia inteiro, isso sem falar da falta de dinheiro que faz parte da vida da maioria dos estudantes… rs. Mas assim como você sempre dá um jeito para cuidar de sua saúde física, do seu momento de lazer e de coisas que te fazem bem, é muito importante separar um tempo para a sua saúde mental, pois uma coisa é fato: sem saúde mental todo o resto acaba sofrendo as consequências!

Ficou interessado? Pode me procurar! Ou se preferir, pode ser alguém de sua preferência, mas o mais importante é: separe um tempo para cuidar de si, com certeza valerá a pena!

Com carinho,

Júlia Lainetti
CRP 08/22266
(41) 9191-2377