Como anda a sua bússola?

Como anda a sua bússola?

Muitas pessoas não tem muito ideia de qual é o papel do Psicólogo. Não é difícil encontrar pacientes que chegam a uma consulta e esperam que depois de contarem a sua história e seus problemas nós vamos pegar um papel e uma caneta e lhe passar uma receita para acabar com a sua dor – assim como um médico faria.

O médico observa os sintomas que o paciente trás e o diagnostica com essa ou aquela doença ou quando resta alguma dúvida pede alguns outros exames complementares para fechar o diagnóstico e normalmente em seguida passa alguma medicação para o início do tratamento.

Mas e o Psicólogo? Bom… a gente ouve, a gente trabalha de uma forma a conduzir o tratamento e não a pessoa. Mas como assim?

bussola-como-funciona-como-usar-e-aprenda-a-fazer-umaAcredito que um ótimo exemplo é o de uma bússola. Acredito que cada pessoa tenha a sua
bússola interna no sentido de saber aquilo que é melhor para si e diante disso o trabalho do Psicólogo é ajudar a pessoa a usar essa bússola, mas não mostrar o caminho que ela deve seguir.

Cada pessoa tem uma história, um modo de ver a vida e uma série de experiências que fizeram com que ela se tornasse quem ela é. Por mais que existam histórias parecidas, cada ser é único e nunca existiu ou existirá alguém como ele. Logo, não existe uma receita que possa ser passada e que vá resolver o problema de todo mundo…

Pelo contrário, a receita de cada um é exclusiva e se encontra em seu interior, pode ser que as vezes por meio de problemas e situações difíceis ela acabe sendo esmagada ou perdida no meio da confusão…

E aí que o Psicólogo vai atuar, ele vai ajudar a pessoa a encontrar a sua receita, ou a sua bússola, limpar, arrumar, desenferrujar, fazer todo o tipo de manutenção necessária para então poder usá-la e traçar o seu próprio caminho!

Se esse processo é fácil? Não… mas com certeza vale a pena! Talvez possa parecer mais simples uma resposta pronta? Talvez… mas pra que seguir um caminho traçado se você pode construir a sua estrada? Pense nisso!

Com carinho,

Psicóloga Júlia Lainetti

By | 2017-09-20T14:12:48+00:00 abril 8th, 2016|Comportamento|1 Comment

About the Author:

One Comment

  1. Gustavo Fernando 02/08/2016 at 11:20 am - Reply

    Bom site

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: