Tenho percebido nos últimos tempos muitos posts pipocando sempre com um tipo de mensagem que me de deixam um pouco preocupada… “Dicas de ouro para ter uma vida feliz”, “5 coisas para se fazer para ter sucesso para alcançar a felicidade”, “Como conquistar a vida perfeita”…. Como se todos nós fossemos exatamente iguais e reagíssimos e gostássemos exatamente das mesmas coisas! Passando a ideia de que conselhos como esses pudessem se encaixar a todos de uma mesma forma…

Sabe, como psicóloga eu vou ser a primeira pessoa a dizer que sim precisamos correr atrás dos nossos sonhos e da nossa felicidade, porém as coisas não são tão simples, primeiro por que antes de tudo precisamos descobrir do que gostamos, e isso por si só não é uma tarefa fácil, depois por que o que satisfaz a alguns, não satisfaz a outros e também por que por mais que saibamos o que queremos, nem sempre teremos um caminho claro e objetivo para alcançar aquilo que planejamos e também por que existem momentos na vida em que nós não sabemos muito bem aquilo que queremos.

como-planejei-como-aconteceu-1Sim! Isso é verdade! Parece absurdo, pois de alguma forma desde que nascemos colocaram na nossa cabeça que a vida sempre corre bem, que as coisas sempre acontecem segundo o planejado e que as pessoas bem sucedidas alcançam todos os seus objetivos sem muitos impecilhos! Mensagens essas que fazem com que a gente se sinta completamente errado e deslocado por ter uma vida “normal” cheia de impecilhos e indecisões…

Parando pra pensar rapidinho, será que você consegue lembrar de pessoas que estão perto de você que a vida seguiu tão a risca esse suposto plano e que tudo saiu como o planejado? Acho que não…

Sabe, a vida é orgânica, a vida corre independente daquilo que planejamos e desejamos, pois além dos nossos próprios planos e atos, a vida depende também da decisão das pessoas ao redor, da influência dessas e de outras pessoas e até mesmo da influência do totalmente imprevisível, como as condições climáticas e o próprio “nascer e morrer”.

E por que eu estou dizendo isso? Pra falar que não precisamos fazer planos e que devemos seguir no conformismo? Claro que não!

Mas que talvez, a gente precise aprender dia a dia a não tentar controlar tudo, a entender que talvez precisamos aprender a reagir de forma leve diante das imprevisibilidades da vida e que apesar dos nossos planos, muitas vezes as coisas podem sair de outra forma e serem diferentes… E que diferente não precisa ser ruim! 

O “coitado” do diferente muitas vezes é visto de uma forma bem ruim, sendo ele simplesmente é diferente, ou seja, é uma outra coisa, uma nova possibilidade! Ele não precisa ter um juízo de valor, pois dependendo da forma como paramos para olhar, TUDO pode ter um lado bom ou ruim.

Diante de tudo isso eu te convido a dar um passo atrás diante de alguma situação que você esteja vivendo e parar pra pensar de forma “neutra”, quais são as possibilidades que essa situação de trás, será que como diz o velho ditado não é possível “fazer desse limão uma limonada”?

Com Carinho,

Júlia Lainetti -Psicóloga

CPR 08/22266