É tentador buscar respostas, é tentador não cairmos na tentação de quando alguém diz o que VOCÊ DEVERIA FAZER para melhor viver a SUA vida.
. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
Por mais que não sejamos seres completamente independentes do ambiente em que vivemos e nos desenvolvemos, e que sim podemos aprender com os outros, é diferente quando um discurso é portador de uma verdade que teoricamente se aplica a muitos casos, ou até mesmo a todos.
. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
Pois cada um de nós é único, desde a nossa fisionomia mesmo sendo todos seres humanos, às nossas vontades, aos nossos desejos, às nossas motivações, e até mesmo se pensarmos nas coisas mais simples o que gostamos ou não de comer ou se pensarmos no mais profundo aquilo que nos faz sentido ou não. Não há uma resposta pronta que sirva para todos, e que bom, é esse construir que faz a vida seguir, você já pensou nisso?
. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .
Amei esse livro “Cartas a um jovem poeta” por que vejo que a forma de viver que ele apresenta ao poeta, é muito parecida como encaramos na psicanálise. É preciso construir o próprio caminho, é preciso construir a relação consigo mesmo, é preciso se conhecer mesmo sabendo que temos muitos questionamentos, ambiguidades e questões, é preciso seguir o próprio caminho que pode ser feito com companhias, mas nunca com outro alguém que guie.
. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . .