“Mas porque eu tenho que procurar ajuda pra falar das minhas angústias? Não vai passar de algum jeito? Já passou tantas vezes…”
*.*.*.*.*.*.*.*.*.*.*.*.*.*.*.*.*
Acho que você já deve ter ouvido ou até mesmo falado isso, não? Eu mesma já ouvi diversas vezes e me lembro de uma aula em que o psicanalista J.D. Nasio falou que sim muitas vezes as nossas dores passam sem que necessariamente façamos alguma coisa, mas pode ser que elas passem mais devagar e soframos muito nesse processo, pode ser que elas deixem cicatrizes maiores do que elas podiam deixar e pode ser também que elas se tornem dores crônicas. Então, por que sofrermos sozinhos se a travessia pode ser mais leve?
*.*.*.*.*.*.*.*.*.*.*.*.*.*.*.*.*
Muitas vezes somos pegos no raciocínio da sociedade que nos coloca em um discurso de auto suficiência, de que tudo depende de nós e que se formos fortes, obstinados, determinados o bastante tudo se resolve pela nossa força. Mas sabe, muitas vezes não, não é isso que acontece, muitas vezes tudo o que precisamos é falar das nossas dores e sentimentos e darmos a eles o espaço que eles merecem e precisam para poderem se transformar e para podermos então atravessá-los.
*.*.*.*.*.*.*.*.*.*.*.*.*.*.*.*.*
Pode parecer que não, mas penso que essa atitude exige uma coragem e determinação maior do que qualquer pensamento motivacional poderia exigir, essa atitude nos lembra que certas coisas não podemos vencer, mas precisamos viver, atravessar, experenciar, elaborar e FALAR, para que possamos ver que a dor não nos tira a possibilidade de seguir 💓