Se você já conviveu com alguém religioso (e infelizmente estou me referindo as mais diversas religiões), talvez você já tenha ouvido que depressão poderia ser falta de Deus… Gostaria de poder usar o exemplo de que com relação à outras doenças as pessoas não usam esse tipo de argumento, mas infelizmente o que já ouvi e percebo é que para outras doenças esse argumento também é usado, assim como em ambas as situações argumentos como castigos, falta de fé, uma vida “desregrada” e tantos outros também são utilizados…

Não estou aqui para julgar religiões, nem de longe essa seria a minha intenção, mas gostaria de levantar o tópico do como esse tipo de pensamento vindo de discursos que deveriam acolher e ajudar pode acabar sendo devastador para aqueles que sofrem…

A verdade é que estamos em um mundo em que enfrentamos lutas e lutos, dificuldades, decepções, dores e tantos outros baques ao longo da vida que por mais que tenhamos pensamentos positivos, por mais que oremos, por mais que sejamos focados com relação aos nossos planos não é possível vivermos de uma forma que tudo isso não nos alcance, nos balance e algumas vezes nos atinja mais profundamente…

Assim como também vivemos em um corpo que falha, um corpo que por vezes não funciona no ideal de como deveria funcionar e que por que por mais que tentemos lutar contra, nossa vida aqui nessa terra é finita… e por isso e tantos outros motivos ele acaba demonstrando sinais ao longo da nossa caminhada.

Além disso, também vale lembrar que além desses dois fatores tão importantes, ainda vivemos em um mundo que infelizmente é poluído e com isso inalamos muitas substâncias que talvez não sejam as mais ideais para o funcionamento do nosso corpo e a nossa alimentação talvez não corresponda ao que deveria ser a mais ideal para a nossa saúde.

E por que eu estou falando tudo isso? Pelo fato que somos seres que são influenciados pelas situações e mudanças que acontecem ao nosso redor; e de formas diferentes cada um de nossos corpos, mentes e sentimentos reage de uma forma singular a todo esse conjunto de fatores e por mais que seja difícil assumir, acredito que podemos dizer que a depressão em maior ou menor grau, as angústias, as ansiedades e as doenças que conseguimos enxergar mais claramente por via de exames – ou até mesmo sem – acabam sendo um resultado de tudo isso – ou também sejam coisas que simplesmente nunca compreenderemos exatamente o por quê acontece ou aconteceu da forma que se deu ou se dá em nossas vidas.

Viver não é fácil, viver desafia, viver nos coloca no lugar de lidarmos com situações inexplicáveis e algo que eu acredito é que a religião nos trás é a palavra de conforto, amor, acolhimento e respeito ao próximo, a si mesmo e a vida.

Então, se eu pudesse dizer algo em meio a tantos discursos lindos que eu tenho ouvido durante esse #setembroamarelo é: não permita que a religião te impeça de acolher alguém que sofre, não diminua a dor que você não compreende por que alguém está sentindo… A mesma queda não machuca a todos da mesma forma, então não julgue se alguém passa por algo que você passou e enfrentou de outra forma, e nem julgue aquilo que você não conhece…

E para aqueles que sofrem o que posso dizer é: busque ajuda!

Precisamos lembrar que ao mesmo tempo que todos os fatores que citei ali em cima podem nos influenciar negativamente em situações tão delicadas na vida, eles também podem nos ajudar a levantar e sacudir a poeira em momentos de dificuldade.

E é pra isso que a Psicologia, a Psicanálise, e a Medicina, a Nutrição e tantas outras profissões existem: para nos ajudar! Para permitir que apesar de tudo isso possamos construir novas possibilidades de continuar existindo em meio ao caos que tantas vezes nos vemos submersos! E a religião para aqueles que vem sentido nela precisa vir para ajudar, vir para colaborar e não para causar sofrimento.

Talvez estejamos envoltos em um mundo de respostas rápidas… e talvez por isso seja tão difícil se ver de pedrinha em pedrinha lutando para construir um caminho na vida ou para caminhar ao lado daquele que está em meio a um canteiro de obras interno. Mas lembre-se que para uma casa ter uma base sólida não é possível acelerar o processo, mas é preciso ter paciência!